barro branco

A Vila do Barro Branco é um povoamento na Serra do Mucugezinho cercado por montanhas e rios, a 6 quilômetros da sede do município de Lençóis (BA). Em meio ao semiárido nordestino, resiste sombreada por um jardim cultivado ao longo de séculos e conta parte da história da Chapada Diamantina.

“Consta que a antiga Vila do Barro Branco foi um povoamento isolado na Serra do Mucugezinho, que servia de parada entre Campos de São João e Andaraí.” (Weigand). Segundo historiadores, a Serra do Sincorá e suas confluências receberam, na década de 1840, cerca de 30.000 almas e muitas delas estabeleceram-se no Barro Branco, que tornou-se uma povoação de importância para todo o território.

“Até meados do século, a Vila do Barro Branco foi um povoado que abrigou mais de 50 casas térreas, construídas de pedra e adobe e cobertas de telhas de fabricação manual (…). Os garimpeiros também utilizavam “tocas” para abrigar-se, restando evidências intactas de várias “tocas” nas proximidades.”, descreve Weigand.Barro Branco Google Earth 18_06_2015

Hoje, a vila constitui-se de um pequeno conjunto de casas e quintais e algumas dezenas de famílias. A relevância histórica e as peculiaridades ambientais do Barro Branco são reconhecidas pela comunidade e até mesmo por órgãos governamentais.

O Instituto do patrimônio artístico e cultural da Bahia (IPAC) iniciou o processo de tombamento há mais de dez anos, no entanto, nenhuma ação concreta de proteção foi realizada por órgãos públicos.

É em uma casa histórica, de taipa e adobão, que fica o estúdio principal do projeto Barro Branco Sonoro. Vizinha de ruínas de barro e pedra e de novas construções de alvenaria, a casa de Nildo é testemunha das mudanças sociais e ambientais radicais vivenciadas no Barro Branco nos últimos setenta anos.

Esse contexto, que abrange a história, a cultura e riqueza ambiental, enriquece a proposta de registro e inspira a criação do contraponto poético musical proposto pelo projeto Barro Branco Sonoro.

Proteção Legal – A Vila está inserida na APA Marimbus Iraquara e constitui-se ainda em zona de amortecimento do Parque Nacional da Chapada Diamantina. Plano de Manejo e Zoneamento APA MArimbus Iraquara – Lei municipal 457/97.

O projeto Barro Branco Sonoro agradece ao Instituto Barro Branco de Interação Orgânica (IBBIO) e à Vera Weigand pelas contribuições ao projeto.

Essa é uma postagem colaborativa. Entre em contato pelo email contato@barrobrancosonoro.com.br , envie suas fotos (e os créditos ),  histórias e documentos antigos do Barro Branco,  nos ajude a compor nosso acervo e resgatar a história local!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *